John Wick: Um Novo Dia Para Matar | Crítica

178 Visualizações Deixe um comentário

John Wick: Um Novo Dia Para Matar transcende na quantidade de corpos deixados para trás

John Wick - Um Novo Dia Para Matar

Sequência do filme de 2014, John Wick: Um Novo Dia Para Matar (John Wick: Chapter 2) foi lançado no Brasil dia 16 de fevereiro de 2017, estrelado por Keanu Reeves, Common, Bridget Moynahan, Ian McShane e John Leguizamo. Escrito por Derek Kolstad com direção de Chad Stahelski, o filme de ação mostra as consequências do retorno de John Wick, após sua breve aposentadoria.

A História

O retorno forçado de John Wick reverberou entre os maiores mafiosos e assassinos do mundo, levando o personagem a reencontrar um velho conhecido, que irá cobrar um antigo favor na forma de um novo serviço.

John precisará retomar a sua antiga vida, o que nos mostrará o quão grandioso é a máfia dos assassinos, além dos diferentes modos de vida de cada um. Tudo em meio a incríveis e surreais cenas de ação, com direito a muito impacto e as mais diferentes formas de confronto corpo a corpo, armas brancas, pistolas e armamento de grosso calibre.

A fúria de John Wick irá despertar algo bem maior do que ele próprio poderia imaginar.

John Wick - Um Novo Dia Para Matar

Opinião do MonsterBrain

John Wick: Um Novo Dia Para Matar segue o padrão do filme anterior, no entanto a produção se sentiu a vontade para extrapolar as situações de maior impacto. Não é atoa que o filme já começa com ação extrema, da uma pausa, surge outra cena de tiroteio, mais um breve período para respirar e apresentar a novidades, mais outra fuga e etc, levando o público a lidar com uma apresentação frenética dos fatos, carregadas de emoção e apresentadas numa beleza incrível, quase uma dança. Estas características relembram muito bem coreografias vistas em Matrix e Kill Bill, com um quê bem mais orgânico, além de um humor sem exageros, apresentado nas entrelinhas das situações mais críticas (como quando John precisa recarregar suas armas em meio a um tiroteio).

O protagonista é quase um super-herói, com esqueleto de aço e imune a dor. O realismo do atropelamentos e dos arremessos é tão grande que nos faz pensar estar dentro do filme. John continua implacável e sua obstinação o faz levantar mesmo situações extremas, o que colabora para que as cenas de ação não percam o ritmo.

John Wick - Um Novo Dia Para Matar

Desta vez podemos conferir algumas ferramentas utilizadas por assassinos de alto nível, como ternos a prova de bala e a forma que estes adquirem suas armas, no mais alto nível e classe que um filme como tal poderia nos oferecer. Se o problema enfrentado por John Wick no primeiro filme, por vezes pareceu grande demais para resolver, neste novo filme tudo é elevado a níveis estratosféricos. A máfia dos assassinos é uma grandiosa organização que se estende do mais alto ao mais baixo ponto da sociedade, com toda uma rede de informações que promove a organização dos acordos e contratos entre os membros desta.

Tudo no filme é bem colocado, como personagens, roupas, comportamentos e principalmente as cenas coreografadas de carros e confrontos, no entanto foi quase natural que a história acabasse por se tornar rasa. Não é nada muito sofisticado, é apenas um homem com um foco e muita ação em seu caminho, temperada por diversos tipos de situações, assim vistas em ambientes como o Continental Hotel.

John Wick: Um Novo Dia Para Matar extrapola na quantidade de mortos deixados para trás e na beleza em que tudo isso foi armado, tornando-se um filme de ação sensacional que te mantém acordado do início ao fim, ainda mais com a certeza de um novo filme sendo preparado.

Se você gosta de filmes do tipo, sem muito compromisso para resolver mistérios e outras coisas mais, este novo filme de John Wick é totalmente recomendado!

Sobre o Autor

Sandro Pessoa

Metalhead, guitarrista, colecionador de livros e hq's, fundador do site MonsterBrain e Lorde Sith nas horas vagas.