Mulher-Maravilha: Sangue | Crítica

1090 Visualizações Deixe um comentário

Grandes Revelações Sobre a Origem da Mulher-Maravilha Contadas em Sangue!

Lançado originalmente em janeiro de 2013 pela DC Comics, Mulher-Maravilha: Sangue (Wonder-Woman: Blood) foi publicada no Brasil em 2016 pela Panini Comics. A obra contém as seis primeiras edições da revista mensal da heroína, pertencente a linha editorial Os Novos 52 a partir de novembro de 2011.

Sangue é o primeiro volume de uma série de edições escritas por Brian Azzarello, seguida por Guts (Vol.2), Iron (Vol.3), War (Vol.4), Flesh (Vol.5) e Bones (Vol.6). A partir do sétimo volume as histórias da Mulher-Maravilha passaram a ser escritas por Meredith Finch.

Brian Azzarello é um roteirista de bastante renome dentro da DC Comics, responsável por algumas histórias do Batman, Superman e Antes de Watchmen. Um de seus trabalhos de maior repercussão foi a série 100 Balas, publicado pelo selo Vertigo, da DC Comics.

Os quatro primeiros capítulos foram desenhados por Cliff Chiang, e os capítulos 5 e 6 por Tony Akins.

Mulher-Maravilha - Sangue

A seis primeiras edições de Mulher-Maravilha presentes em Sangue, referem-se a nova e então real origem da personagem, contada pela DC Comics durante Os Novos 52.  A princesa Diana, vítima de preconceito por parte de suas colegas amazonas pelo fato de sido originada do barro, descobre que tudo que sabia a respeito de seu nascimento era fruto da mentira de sua mãe, a Rainha Hipólita.

Diana é filha de sangue tanto de Hipólita como também de Zeus, uma semideusa fruto de uma das traições realizadas pelo deus do Olimpo em relação a sua esposa, a deusa Hera.

De modo proteger a jovem Diana da fúria de Hera, Hipólita decidiu esconder o fato de que esta era filha de Zeus. Um segredo que durou anos, provocando grandes lamentações da personagem por conta de sua estranha origem.

A história começa com a deusa Hera encomendando a morte de uma garota, grávida de Zeus em uma de suas inúmeras traições. Auxiliada por Hermes, a garota conta sua situação a Diana que decide ajudá-la.

Partindo para a Ilha Paraíso, de modo encontrar abrigo junto as amazonas e sua mãe, é revelado a Diana pela deusa Discórdia sobre seu laço de sangue com Hipólita e Zeus. A grande revelação leva a Mulher-Maravilha e seus amigos a partirem sem saber que a Ilha Paraíso logo iria receber a visita da impiedosa Hera.

Tudo piora com o fato do desaparecimento de Zeus, com Diana em meio a um poderoso conflito entre os demais deuses pelo trono do Olimpo.

Mulher-Maravilha - Sangue

Mulher-Maravilha: Sangue chama a atenção por ser uma história visivelmente mais adulta que diversos outros títulos da DC Comics. O emprego de cenas com bastante violência, sangue e sensualidade são bastante destacadas de modo que a história da personagem não é nenhum pouco considerada leve por conta da protagonista ser uma mulher.

Cenas de mutilação com muito sangue jorrando, insinuação da nudez feminina e cenas de sexo camufladas, além de ferozes combates corpo a corpo são os tipos de ilustrações que trazem vida ao roteiro de Brian Azzarello.

É um importante item para quem é fã do universo da DC Comics, dado que a Mulher-Maravilha, ao lado do Batman e Superman correspondem a trindade da editora. Este é apenas o primeiro volume, portanto a parte final é o começo da próxima história.

Portanto se você quer conhecer a ferocidade das histórias da Mulher-Maravilha, então aventure-se em Sangue!

Mulher-Maravilha - Sangue

Sobre o Autor

Sandro Pessoa

Metalhead, guitarrista, colecionador de livros e hq's, fundador do site MonsterBrain e Lorde Sith nas horas vagas.