Punho de Ferro | Crítica

195 Visualizações 2 Comentário

Punho de Ferro é menos que o esperado

Foi disponibilizada na Netflix, a série Punho de Ferro (Marvel’s Iron Fist), baseada no personagem homônimo da Marvel Comics. Com produção de Scott Buck, a série protagonizada pelo ator Finn Jones, contou com um total de 13 episódios durante sua primeira temporada.

Punho de Ferro também conta com as participações de Jessica Henwick, David Wenham, Jessica Stroup, Tom Pelphrey e Rosario Dawson.

Punho de Ferro

A história do Punho de Ferro

Após longos anos de treinamento na cidade mística de K’un L’un, o jovem bilionário Danny Rand retorna a cidade de Nova York, contrariando os fatos de que havia sido morto em um trágico acidente de avião. Intitulado como o novo Punho de Ferro de sua geração, Danny precisará lidar com o desprezo de seus antigos amigos, em um perigoso ambiente empresarial contaminado pelas ações de um misterioso grupo, envolvendo drogas e misticismo.

Danny Rand precisará se readaptar ao seu antigo lar, de modo sobreviver as ações de seus mais perigosos inimigos.

Decepção com relação a Punho de Ferro da Netflix

Infelizmente Punho de Ferro foi menos que o esperado. Isso por que havia a expectativa de que uma série como tal, que envolve filosofia e máfia oriental, além de é claro: um personagem mestre em Kung Fu, não somente isso, mas o grande campeão de uma das principais cidades místicas presentes nas histórias da Marvel Comics, pudesse ser tão impactante como foi Demolidor.

A série não é ruim, no entanto não atende as expectativas que tínhamos em relação a um personagem como tal. Para quem gosta de filmes de Kung Fu, é primordial a perfeição da coreografia durante as cenas de treinamento e combate, o que não existe em Punho de Ferro, aliás, a série nem possui uma quantidade razoável de momentos assim.

Punho de Ferro

Danny Rand, chega a Nova York com uma ingenuidade sem tamanho, falando do Punho de Ferro para qualquer um, sendo taxado de louco por conta de seu excesso de sinceridade. Seus movimentos não convencem, com uma coreografia terrível, longe do impacto que presenciamos em Demolidor, que até então é a melhor série desta leva de produções da Netflix.

Existem diversas situações poucos esclarecidas, como a necessidade de alguns personagens ainda estarem vivos, o motivo por qual Danny Rand, tão jovem e inexperiente tornou-se o mais poderoso guerreiro de K’un L’un, mas nos momentos críticos, mal sabia lidar com seu próprio poder.

Punho de Ferro possui um elenco muito bom, uma ambientação bem interessante, mas o principal, aquilo que tanto queríamos ver em um guerreiro, em uma arma viva como eles repetem diversas vezes, é fraco, pouco convincente e não nos forneceu nenhuma cena memorável que pudéssemos relembrar.

Punho de Ferro

Ocorreram bastante referências as outros personagens, principalmente Demolidor e Luke Cage. Jessica Jones é citada apenas pela sua função como investigadora. Stan Lee como de costume, esteve lá no mesmo padrão das séries anteriores.

Um outro fator detestável que vem sendo reproduzido em séries como tal, é a desconexão com o restante UCM (Universo Cinematográfico Marvel). Todos sabemos que estes personagens compartilham o mesmo mundo que Homem de Ferro, Capitão América e Agentes da S.H.I.E.L.D., mas não há nada na sociedade que demonstre por exemplo, a necessidade de Danny Rand esconder seus poderes por conta de uma Lei regulamentadora de super-humanos.

É lamentável, mas Punho de Ferro se arrasta durante metade da temporada para somente então termos um pouco de ação. Não assista esperando uma série de Kung Fu, pois este tema é praticamente um tempero no que realmente é abordado nos episódios.

Uniforme que ao menos relembre o personagem dos quadrinhos? Desista, talvez um manto verde e amarelo utilizado por monges.

Punho de Ferro

A próxima série baseada nestes personagens será o crossover Os Defensores, com participação de Demolidor, Jessica Jones, Luke Cage e claro, Punho de Ferro. Contamos que esta nova série realmente nos surpreenda.

Punho de Ferro | Crítica
2.5 (50%) 2 votes
Sobre o Autor

Sandro Pessoa

Metalhead, guitarrista, colecionador de livros e hq's, fundador do site MonsterBrain e Lorde Sith nas horas vagas.

  • Helissandro Moraes

    A série é muito boa!! não liguem para as críticas…

  • Ramiro Braga

    Finn Jones estragou