Você Sabe Quem é Durotan? [Warcraft]

5023 Visualizações Deixe um comentário

Durotan, filho de Garad, foi o líder do Clã “Lobo do Gelo” e pai de Thrall

Durotan foi o herdeiro de seu pai Garad, chefe do clã Lobo do Gelo (Frostwolf) nos anos que precederam a Primeira Guerra. A profunda importância que o personagem dava ao mundo e aos seres que viviam nele, apontaram os primeiros sinais de que este se tratava de uma espécie de xamã, porém do jeito dele. Durante um festival Kosh’harg em Nagrand ele conheceu um orc Rocha Negra (Blackrock) chamado Orgrim, filho de Telkar Martelo da Perdição (Doomhammer), tornando-se grandes amigos apesar de pertencerem a diferentes clãs. Durotan também foi trazido para a “montanha sagrada” de Oshu’gun a pedido dos ancestrais, de modo testa-lo e averiguar se ele realmente poderia vir a se tornar um xamã, igual ao chefe de seu clã. Infelizmente ele não viu os ancestrais, embora soubesse que eles estavam lá de alguma forma.

Clique aqui para mais notícias relacionadas a Warcraft

Durante uma corrida na Floresta Terokkar, Durotan e Orgrim foram atacados por um furioso ogro e teria sido morto se não fosse a chegada oportuna de um grupo de caça draenei da região de Telmor, liderado por Restalaan. Após o incidente na floresta, Restalaan levou os dois orcs para Telmor e informou que o líder draenei, o Profeta Velen, estava na cidade e os convidou para jantar. Em meio as discussões sobre as histórias de seus povos, Durotan comentava que tanto ele como Orgrim haviam aprendido naquele período mais sobre os draenei do que com sua raça em mais de um século.

Ao voltar para seu clã, Durotan conheceu uma jovem orquisa Lobo do Gelo chamado Draka. Ele se apaixonou à primeira vista, não acreditando que ela poderia ser um membro de seu clã. Embora rejeitado logo de início, foi durante um passeio e caça onde os dois finalmente se uniram.

O líder do Clã Lobo do Gelo

Durotan - Warcraft

Tempos depois, seu pai Garad foi morto em uma batalha contra um grupo de ogros e Durotan tornou-se o chefe do clã Lobo do Gelo por direito hereditário. Não demorou muito para que Ner’zhul, o líder espiritual dos orcs, convocasse os chefes dos clãs para Oshu’gun. Ner’zhul disse a todos eles o que os ancestrais supostamente haviam revelado sobre o fato de que os draenei eram inimigos do orcs. Isso era parte de um elaborado esquema inventado pelo Eredar Kil’jaeden, um dos tenentes do Titã Escuro Sargeras. Kil’jaeden havia liderado a Legião Flamejante em uma caça aos draenei que no passado abandonaram sua raça principal, os Eredar.

Saiba 7 curiosidades sobre o filme de Warcraft

Durotan foi enviado por Ner’zhul para se reunir com um grupo liderado pelo próprio Velen perto Oshu’gun, onde o Profeta revelou a verdade sobre os draenei e a fuga de Argus 25.000 anos antes. Esta informação foi recebido com suspeita e hostilidade pelos orcs, principalmente por Drek’Thar, o xamã do clã Lobo do Gelo, que chamou Velen de blasfemo. Apesar das ordens em trazer o Profeta e seu grupo para Ner’zhul, Durotan decidiu libertá-los argumentando que não havia nenhuma honra em levar alguém que se tornou um prisioneiro de forma voluntária.

Durante uma batalha em que foram derrotados pelas forças de Restalaan, o xamã Drek’Thar percebeu que tinham sido abandonados pelos espíritos. Durotan e Draka entenderam isso como um sinal de que algo estava seriamente errado, mesmo Ner’zhul tendo dito a eles que os ancestrais confirmavam o fato da guerra ser justa. Foi nessa época que os orcs – sob a orientação do ambicioso Gul’dan, aprendiz de Ner’zhul – começaram a seguir o caminho da bruxaria. Durotan, tentando não chamar a atenção para si mesmo e opondo-se a ordem oficial, permitiu que Drek’Thar e seus outros xamã também aprendessem sobre bruxaria.

O Chefe Guerreiro e a Invasão de Telmor

Através da manipulação de Gul’dan, orientada por Kil’jaeden, os clãs se uniram para formar a Primeira Horda. Mão Negra (Blackhand), líder do clã Rocha Negra (Blackrock), foi escolhido para ser o Chefe Guerreiro, onde de fato, sem que ninguém imaginasse, era apenas um fantoche de Gul’dan.

Durotan - Warcraft

Mão Negra ordenou que Durotan atacasse a cidade de Telmor, próxima ao recinto do clã Lobo do Gelo. No passado, quando ficou aos cuidados de Restalaan, Durotan havia visto o capitão da guarda segurar um cristal verde a partir de um lugar escondido no chão da floresta – era Leafshadow, um dos fragmentos do cristal ata’mal, que projetava uma ilusão capaz de esconder a cidade de ogros e outras ameaças externas. Orgrim Martelo da Perdição disse a Mão Negra que Durotan era capaz de lembrar o encantamento para dissipar a ilusão. Relutantemente Durotan fez isso e portanto, a Horda destruiu a cidade de Telmor matando todos os que ali encontraram, incluindo Restalaan, derrotado pelo próprio Durotan.

Assista nosso vídeo a respeito de Warcraft: O Primeiro Encontro de Dois Mundos

Pouco antes do ataque contra a capital draenei de Shattrath, Gul’dan reuniu os clãs em uma montanha que ele mesmo nomeou de Trono de Kil’jaeden no que atualmente é conhecida como Península Fogo do Inferno, para receberem o “presente” de Kil’jaeden, o sangue de Mannoroth. Durotan recusou-se a participar, como também seu amigo Orgrim, levantando a suspeita de Gul’dan.

Gul’dan procurando eliminar o líder do clã Lobo do Gelo, libertou um dos escravos draenei de Mão Negra, colocando a culpa em Durotan. Mão Negra ficou enfurecido e desafiou Durotan para um duelo, que tinha realmente abrigado o draenei após encontrá-lo no deserto. O plano não funcionou e Durotan não foi derrotado.

Durotan - Warcraft

Após a queda de Shattrath e o desaparecimento de Kil’jaeden, a Horda virou sobre si mesma, sem inimigos para lutar. Foi nessa época que Gul’dan foi visitado em um de seus sonhos pelo mago humano Medivh, que estava possuído pelo Titã Escuro. Medivh ordenou que Gul’dan construísse um grande portal para que juntos abrissem um caminho entre os mundos de Draenor e o de Azeroth. Durotan continuou a manifestar sua oposição contra a liderança da Horda, e quando esta atravessou para Azeroth, Gul’dan exilou Durotan e todo o seu clã.

Exílio e Morte de Durotan

Aparentemente após aceitar seu destino, Durotan e o clã Lobo do Gelo resolveram se estabelecerem em um vale escondido nas montanhas de Alterac, bem ao norte do Reino de Azeroth, vivendo por ali durante toda a Primeira Guerra. Enquanto estavam lá, Drek’Thar abandonou o caminho da bruxaria e através dos espíritos foi capaz de retornar ao xamanismo. Sua ajuda foi de grande importância na sobrevivência dos Lobos do Gelo nesta região que agora chamavam de lar. Além de garantir que o acampamento não fosse inundado pelo degelo da primavera, eles também fizeram amizade com os lobos brancos que também fizeram do vale seu local de moradia. Foi no final da Primeira Guerra que Draka, companheira de Durotan, deu à luz ao seu filho e herdeiro, o orc que viria a ser conhecido no futuro como Thrall. Percebendo que agora havia muito mais em jogo e que seu legado deveria sobreviver, Durotan decidiu agir contra o  Gul’dan e viajou para o acampamento do único orc que poderia ficar ao seu lado, Orgrim Doomhammer.

Doomhammer já havia nesta altura assassinado Mão Negra e se tornado o Chefe de Guerra da Horda. Durotan explicou o que sabia a respeito de Gul’dan e seu Concílio das SombrasOrgrim e este prometeu que ficaria ao seu lado no confronto contra o bruxo, mas para o bem de seus guerreiros e até mesmo de Durotan, o Chefe Guerreiro os enviou para um local a salvo de Gul’dan. O que eles não sabiam era o fato de que vários dos guerreiros de Orgrim eram espiões de bruxo orc, sendo seguidos até o local de destino.

Durotan - Warcraft

Foram convocado assassinos para matar o chefe Lobo do Gelo e sua companheira. Embora ele tenha conseguido matar ao menos um destes, Durotan gravemente ferido para continuar, teve seus braços cortados para que ele jamais pudesse segurar seu filho novamente. Durotan morreu lentamente à medida que a sua força vital ia sendo drenada para fora dele, seu último pensamento era sobre a sensação de alívio de saber que seu filho não seria dilacerado pelas criaturas da floresta.

Go’el Thrall foi abandonado para morrer ao lado dos corpos de seus pais, mas acabou sendo salvo por Aedalas Blackmoore, comandante dos campos de concentração dos orcs, tornado-se futuramente um gladiador e mais para frente o Chefe Guerreiro de uma nova Horda.

 

Sobre o Autor

Sandro Pessoa

Metalhead, guitarrista, colecionador de livros e hq's, fundador do site MonsterBrain e Lorde Sith nas horas vagas.