A Trágica Necessidade dos Haters no Desenvolvimento da Cultura Pop

857 Visualizações 3 Comentário

Haters Gonna Hate!

Destiladores de ódio e geradores de inúmeras discussões, os “haters” fazem parte de um dos principais grupos sociais presentes na internet. Qualquer um que tenha navegado em redes sociais, fóruns e comentários em sites de notícias já se depararam com este tipo de indivíduo.

Seja em qualquer aspecto da vida, os haters estarão lá gerando três tipos de comportamentos por parte dos demais: odiá-los, odiar ao lado deles e o mais difícil, abster-se de sua opinião para que eles se calem.

Aparentemente, haters são constituídos em diversas vezes por pessoas competitivas que não possuem um equilíbrio no momento de escolher um lado, onde amar uma opinião significa odiar a outra e vice versa.

No antro da cultura pop isso não é diferente, e diversas pessoas passaram a escolher lados (Marvel, DC, Playstation, Xbox, Cinema, Quadrinhos e etc) como se escolhe um time de futebol. E qualquer time vive de temporadas, uma ruins outra não, mas para o torcedor isso não importa: o time adversário (mesmo sendo campeão) sempre será ruim.

Anakin Skywalker

Desde o surgimento da internet, toda pessoa pode criar seu próprio palanque e expor suas opiniões, alcançando um número infinitamente maior de pessoas do que antes. E quanto maior o alcance, maior a possibilidade de encontrar pessoas que compartilham de tais ideias e também aquelas que serão contra.

E rapidamente formam-se gigantescos blocos sociais que entram em guerra por seus ideais, nascidas de uma coragem muitas vezes fortalecida pela barreira chamada “tela do monitor”.

Mas existe um lado positivo nisto tudo: a publicidade gratuita que determinadas marcas recebem por conta dos haters.

Estas empresas se beneficiam bastante do marketing originado destas constantes guerras. “Falem mal, mas falem de mim” gera lucro.

Atualmente uma parcela de canais de youtube trabalham muito bem essa cultura do hater, como por exemplo um fato que presenciei onde o indivíduo colocou a imagem de capa do vídeo como “Pior Filme de 2016“. O vídeo era em relação a X-Men: Apocalipse. Convenhamos, o filme pode ter errado em um ponto ou outro, mas ser o pior?

Mas isso gera cliques, pois quem não concorda irá assistir o vídeo apenas para discordar, irá disseminar o nome daquele canal e mais pessoas irão receber aquele conteúdo. Por fim, todo o estresse das discussões beneficiarão somente o dono do canal e o próprio filme.

A arte de alguém se passar por hater  para manipular haters ao seu favor.

Outro exemplo são pessoas que compartilham imagens de ódio contra determinadas empresas em grupos do facebook. O que estas pessoas ganham com isso? Obviamente atenção e muitas vezes a satisfação em ver alguém curtindo seu post, já que na vida real esta mesma pessoa pode muito bem não estar recebendo a atenção que ela realmente queria.

E como falar coisas sensatas não chama atenção, vamos falar mal, pois criticar o que outro gosta é mais divertido e chamativo. Você estará no palco com um holofote gigantesco mirado para você. O que mais uma pessoa carente iria querer?

Yoda - Gonna Hate Haters Are

O fato é que, mesmo que seja um marvete, um dcnauta, um caixista ou sonysta, é o nome da marca que estará sendo disseminada de forma gratuita e da maneira mais veloz possível. Estas empresas só tem que agradecer por isto, pois enquanto você acabou de perder um possível amigo e alimentou os trolls com agressividade e ofensas, são eles quem estão ganhando dinheiro.

Batman vs Superman há tempos saiu dos cinemas, já tem Blu-Ray disponível e todos os dias ainda existem publicações sobre ele ser bom ou não, se é melhor que filmes da Marvel. Questionamentos inúteis, com argumentos que não acrescentam em nada, feitos apenas para satisfazer o ego de alguém que quer atenção. A Marvel e a DC Comics agradecem.

Coloque um Playstation 4 ao lado de um XBOX One, diferenças praticamente imperceptíveis e mesmo assim uma guerra entre os jogadores. Mas o Playstation 4 tem God of War e Uncharted, mas o proprietário de Xbox One prefere Halo e Forza. É como discutir sobre quem prefere churrasco ou feijoada.

Apesar dos haters terem todo o seu lado negativo é claro que a presença destes ajuda e muito o desenvolvimento da cultura pop mundial. Como eu disse é mais fácil você prestar atenção em um comentário falando mal sobre o que você gosta do que falando bem.

Portanto, se você não gosta de haters, procure se acostumar, pois infelizmente eles são engrenagens tão importantes quanto qualquer outra no grande motor desta cultura tão admirável que é a do entretenimento.

E você, de que lado está nesta interminável guerra de fãs?

Leia também:

Sobre o Autor

Sandro Pessoa

Metalhead, guitarrista, colecionador de livros e hq's, fundador do site MonsterBrain e Lorde Sith nas horas vagas.